Orientações para incentivo de alimentos saudáveis para pais e ou responsáveis

Fonte Mão Cooperadora - 24/08/2016 - 11h05min
Orientações para incentivo de alimentos saudáveis para pais e ou responsáveis

  • Defina horários para as refeições em casa, isso evita que fiquem beliscando alimentos não nutritivos e depois esteja sem vontade de se alimentar adequadamente;
  • Incentive o consumo de água, pelo menos (1,5 litros ao dia, ideal: 2 litros) sempre estar se comunicando com a professora para saber o consumo de água no CEI;
  • A hora da refeição ou lanche deve ser um momento de tranquilidade e prazer, tanto para os pais como para os filhos. É muito comum observarmos as mamães e ou responsáveis tensas nesta hora, já supondo a não aceitação do alimento saudável pelo seu filho.
  • Se a criança recusar se alimentar, o ideal é não obrigar a comer, retire o prato e guarde, no momento em que a criança apresentar fome lhe ofereça este prato novamente. O erro mais frequente cometido pelos pais,é a oferta de outros alimentos (como iogurtes, bolachas, entre outros bem aceitos pelas crianças), para que a criança não fique sem comer. Esta troca, se torna “muito vantajosa” para as crianças e está substituição será por diversas vezes solicitada.
  • É muito importante que os pais não forcem ou chantageiem as crianças dizendo: “se você comer tudo ganha um doce ou salgadinho”, assim você reforça que o gostoso é o “prêmio”, que seria o doce ou salgadinho. É importante sim, incentivar as crianças a provarem mais de uma vez o mesmo alimento, mas caso a criança diga que não gostou, deixe para que outro dia ela prove novamente.
  • Misturar as verduras com o arroz, feijão ou carne, são ótimas estratégias. Dica: cozinhar a beterraba no feijão ou utilizar a água do cozimento da beterraba para fazer o arroz, desta forma você garante um maior aporte de micronutrientes, tão importantes para as crianças.
  • Quando você (pai, mãe ou responsável), for fazer uma refeição com seu (s) filho (a) ressalte a ele o gosto dos alimentos, como: “que gostoso”. A sua opinião é muito importante para eles, mas evite fazer comentários negativos “Eca” “Não como isso” ou caretas no consumo de alimentos, eles percebem e terão rejeição ao alimento.
  • Chamar seu (s) filho (a) para escolher e preparar um prato saudável pode ser uma ótima opção, pois além de incentiva-lo a fazer escolhas mais saudáveis, a companhia dos pais, responsáveis, irmãos, primos pode tornar aquele momento especial, propiciando uma maior chance de associação de momentos bons com boas práticas alimentares.
  • Os livros e vídeos infantis sobre educação alimentar (como os benefícios e malefícios dos alimentos), podem ser uma boa estratégia, pois assim você pode estimular seu filho a ter mais senso crítico sobre os alimentos, preparando-o para futuramente fazer suas próprias escolhas.

Com essas dicas, espero estar contribuindo para um incentivo adequado de alimentos e uma melhor qualidade de vida para seus filhos e consequentemente para você.
Atenciosamente,
VANESSA DE CARLI
NUTRICIONISTA CRN8/10222

Compartilhar:

Localização

Contato

contato@maocooperadora.org

Rede Social